Adoçantes

Os adoçantes são uma alternativa para as pessoas restritas ao consumo de sacarose, como os diabéticos, e uma boa opção para uma vida mais saudável.

Conhecidos também por edulcorantes, os adoçantes podem ser naturais (sacarose, frutose, polióis e stévia) ou sintéticos (sacarina, ciclamato, aspartame e sucralose). Além disso, são classificados como nutritivos, isto é, são calóricos (sacarose, frutose, polióis e aspartame); e não-nutritivos, ou seja, isentos de calorias, como a sacarina, o ciclamato, os glicosídeos de steviol e a sucralose. Em todos os casos, o objetivo principal de um adoçante é adoçar os alimentos e, ao mesmo tempo, apresentar um sabor semelhante ao da sacarose, o nosso açúcar comum.

Na hora de comprar o adoçante, seja ele líquido ou em pó, fique atento às informações da embalagem que indicam a partir de qual ou quais edulcorantes ele é feito.

Abaixo as principais características de cada um dos edulcorantes mais encontrados nos adoçantes:

SACARINA Рprimeiro ado̤ante sint̩tico a ser descoberto e tem o poder de ado̤ar at̩ 500 vezes mais que o a̤̼car e ṇo ̩ metabolizado pelo organismo.

CICLAMATO – adoçante artificial muito usado pelo setor alimentício. Suas principais aplicações são em bebidas dietéticas, geléias e como adoçantes de mesa. Tem um poder adoçante de apenas 40 vezes mais que o açúcar, não apresenta calorias e não é metabolizado pel organismo.

ACESULFAME-K – é um sal de potássio sintético produzido a partir de um ácido da família do ácido acético. Tem o poder adoçante entre 180 a 200 vezes maior que o açúcar e é permitido para os diabéticos. É absorvido pelo nosso organismo mas não é metabolizado.

SUCRALOSE – é um adoçante sintético derivado do açúcar com o poder adoçante 600 vezes maior que a sacarose. Sabor semelhante ao do açúcar, além de não ser calórico. Não é metabolizado pelo organismo.

ASPARTAME – é calórico (4 kcal por grama) e seu poder adoçante é de 200 a 300 vezes maior do que o do açúcar comum. Pode ser usado por diabéticos. Foi descoberto em 1965 e é uma combinação de fenilalanina e ácido aspártico. Seu uso é contra indicado por fenilcetonúricos (pessoas cujo organismo não consegue metabolizar a fenilalanina).

FRUTOSE – é um adoçante natural e encontrado nas frutas e no mel, contém 4 kcal por grama. Inicialmente seu metabolismo não depende da insulina. Seu alto poder adoçante torna a frutose um adoçante pouco calórico, uma vez que são necessárias dosagens pequenas para atingirmos um sabor adocicado. E quando submetida ao calor a frutose derrete, porém mantém o seu sabor.

GLICOSÍDEOS DE STEVIOL (STEVIA) – adoçantes naturais com poder adoçante de 300 vezes mais que o açúcar. São extraídos das folhas da planta Stevia Rebaudiana (Bert) Bertoni. Podem ser consumidos por qualquer pessoa sem contra-indicações, não são calóricos e nem metabolizados pelo organismo.

Esses são os mais conhecidos e vendidos. Ano passado a ANVISA liberou o uso de outras três substâncias: taurina e eritritol que são naturais; e o neotame que é artificial. Futuramente falarei sobre esses e também sobre o limite de consumo de todos os adoçantes.

Até mais…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.